terça-feira, fevereiro 07, 2006

Ninguém se queixe

O Presidente Bush resolveu decretar alguns cortes orçamentais nas áreas sociais e reforçar os custos relacionados com a defesa em nome do combate ao terrorismo. No Médio-Oriente e contra tudo o que se poderia esperar o Hamas ganha as eleições representando tal facto um clima de crispação contra o eterno inimigo Israel. Em ambos os casos não há qualquer ilegitimidade dos actos de loucura dos respectivos dirigentes; ambos foram eleitos pelo voto popular. E se, de um lado , se fala no fundamentalismo islâmico, que acredita veementemente na Jihad e consideraria bem monótona uma vida sem o stress da guerra e do arremesso intempestivo de pedras, de outro temos uma cultura ocidental, dita civilizada, que se rege pelos valores da educação cristã, e que proclama presidente um homem que sacrificou milhares de americanos em busca das armas que os infalíveis delfins da CIA lhe afiançavam existir no Iraque. Pena?Pena tenho eu dos meus entes queridos se por acaso sofrerem algum dano colateral.