terça-feira, fevereiro 28, 2006

Não há condições

Quando iniciei este blogue fi-lo na convicção que o mesmo despertaria uma onda de participação social activa, de partilha de ideias e de diversidade noticiosa. Pois bem, tenho para mim que todo e qualquer blogue deve assentar em factos e factos é coisa que não se passa em Vila Viçosa, tout court.
Não vale a pena insistir na procura de temas supérfluos e vagos para alimentar os conteúdos de um blogue. Quando se olha para o site oficial da principal instituição da vila e não há nada de novo, quando se exorta a população cibernética de Vila Viçosa a apresentar ideias e temas para debate e nos respondem com ofensas, quando no fundo há uma vontade inequívoca de que estes espaços sejam reduzidos a cinzas por parte do poder político, então para mim ganharam. Ganharam pela inércia e pelo marasmo não por me terem conseguido calar! Voltarei quando o motor estiver em marcha...
A todos, obrigado!

sábado, fevereiro 18, 2006

Simulacro

O simulacro de incêndio realizado numa das escolas do 1º ciclo foi um sucesso...à primeira vista, porque na véspera foi constatado que no caso de o incêndio se apresentar pela travessa do lado esquerdo da escola a tarefa seria bem mais complicada uma vez que os carros de Bombeiros não conseguiriam entrar nessa rua. Como é a brincar compreende-se a mudança de planos mas se fosse a sério?

sábado, fevereiro 11, 2006

Só pode ser anedota

Não foi só George Bush que mandou arrasar um país em busca de armas inexistentes; na nossa linda vila o novo supermercado toma a iniciativa de ligar esgotos perante a inépcia das autoridades locais e aguarda posteriormente pela decisão camarária perante tal acto. "Operação ilegal", dizem estes senhores depois de assistirem in locco ao processo. Se o objectivo é fazer desta lamentável incidência um jogo de vídeo que culmina no famigerado "Game Over", estes senhores estão de parabéns; o "nível 1" está atingido. Veremos o que está reservado para o "nível 2", provavelmente quando e até que outros gamers da concorrência entrem em cena. Nessa altura todas as estratégias serão reveladas, porque agora só por brincadeira de mau gosto se manda esburacar para depois vetar !

quinta-feira, fevereiro 09, 2006

Direitos de trabalho

O novo supermercado Mini-Preço continua com as complexas ligações aos esgotos públicos das quais a Câmara lavou as mãos como Pilatos. O que é certo é que a incompetência de alguém deu um jeitaço aos senhores do Intermarché que venderam na época natalícia sem a anunciada concorrência vizinha. Agora que se aproxima a data de abertura do novo espaço há que dar tudo por tudo para não perder a posição comercial adquirida. Nada disto seria condenável se não fossem as empregadas a pagar esse esforço, trabalhando mais horas por dia e sem um único cêntimo a mais na folha de vencimento. Ai de quem ouse queixar-se porque todos os contratos são temporários. Perante coisas como estas, Marx deve dar voltas na sepultura !!!

terça-feira, fevereiro 07, 2006

Ninguém se queixe

O Presidente Bush resolveu decretar alguns cortes orçamentais nas áreas sociais e reforçar os custos relacionados com a defesa em nome do combate ao terrorismo. No Médio-Oriente e contra tudo o que se poderia esperar o Hamas ganha as eleições representando tal facto um clima de crispação contra o eterno inimigo Israel. Em ambos os casos não há qualquer ilegitimidade dos actos de loucura dos respectivos dirigentes; ambos foram eleitos pelo voto popular. E se, de um lado , se fala no fundamentalismo islâmico, que acredita veementemente na Jihad e consideraria bem monótona uma vida sem o stress da guerra e do arremesso intempestivo de pedras, de outro temos uma cultura ocidental, dita civilizada, que se rege pelos valores da educação cristã, e que proclama presidente um homem que sacrificou milhares de americanos em busca das armas que os infalíveis delfins da CIA lhe afiançavam existir no Iraque. Pena?Pena tenho eu dos meus entes queridos se por acaso sofrerem algum dano colateral.

domingo, fevereiro 05, 2006

Precisamos de pastores?

Longe dos tempos em que o poder popular parecia querer impor-se no território nacional mediante a instrumentalização completa dos meios de produção, eis-nos regressados à nossa condição de liderados, subjugados e subvalorizados. O punho no ar e as palavras de ordem que eram entoadas fortemente junto dos tímpanos dos patrões deram lugar à moléstia do conformismo, à deliberada inaptidão para a criatividade e ao terrível fado da resignação perante a autoridade. Respondemos com os vulgares "encostos" quando o patrão se ausenta, distraímo-nos horas a fio com O MSN Messenger durante as horas de trabalho que é facilmente minimizado quando entra um qualquer utente ou o chefe do serviço, fazemos um manguito à política, marimbamo-nos para as eleições...em suma borrifamo-nos para tudo o que se passa fora das nossas quatro paredes. Os nossos dirigentes aceitam este brinde de mãos abertas; perante a cegueira popular não são de estranhar os casos Casa Pia, apitos dourados, encarnados, as luvas, o branqueamento, a corrupção...
Numa escola vizinha onde os cidadãos ainda são apelidados, pejorativamente, de "marroquinos" abrem-se concursos para professores sem qualquer aviso de abertura de concurso e ninguém parece interessar-se pelo "equívoco"...Hello, is anybody out there?

quinta-feira, fevereiro 02, 2006

Ler sobre Vila Viçosa

Aqui ficam algumas publicações sobre Vila Viçosa. Há que fazer justiça a quem dedicou muito do seu tempo em prol desta vila nomeadamente alguns autores que não foram ainda devidamente homenageados.

MEMÓRIAS DE VILA VIÇOSA - Padre Joaquim Espanca
INVENTÁRIO DO ARQUIVO HISTÓRICO - Manuel Inácio Pestana
MOVIMENTO DEMOGRÁFICO DA MATRIZ DE VILA VIÇOSA - Manuel Inácio Pestana
ESTUDO SOBRE AS ANTAS E SEUS CONGÉNERES - Padre Joaquim Espanca
CALLÍPOLE - SONETOS DE JOSÉ EMÍDIO AMARO
SEPARATA DAS COMUNICAÇÕES DOS 1ºs. ENCONTROS DE POESIA DE VILA VIÇOSA - Gabriel Mariano
CANTIGAS QUE EU ENSINEI - Manuel Joaquim Maurício