sexta-feira, janeiro 13, 2006

Brio profissional

Com o impulso deste e de outros governos anteriores, o ataque aos funcionários públicos está em alta. O argumento impelido e induzido é sempre o mesmo; "desconto para ti logo tens de me servir e ser subserviente". Não querendo fazer tábua rasa de que há alguns funcionários extremamente incompetentes e mal-educados e que os mesmos devem ser punidos, não posso concordar que se estimule a população em geral para entrar com um pedestal nas repartições públicas a fim de, a priori, encarar cada funcionário como um serviçal que temos de ter com rédea curta. É um dos males deste país; estamos na cauda da Europa mas achamos que temos sempre razão sobre os outros cujos argumentos não passam de um "ai e tal" (gato fedorento dixit).
Eu posso provar que a culpa do atraso estrutural do país não reside apenas nos servidores do Estado. A incompetência e a sucção monetária está instalada nas diversas profissões liberais; este ano necessitei de um canalizador em casa: dos 6 serviços propostos apenas resolveu 3 levando metade do tempo rumo a casa em busca de ferramentas. Quando constatei que o serviço não havia sido concluído,solicitei de novo a sua presença...6 meses passaram e nada. Um pintor de nacionalidade estrangeira com tendência para apertos de mão entusiásticos procura novas ruas cada vez que comigo se cruza apenas porque parte da pintura caíu ao fim de um mês. Um mecânico que ganha cerca de 20 contos por mudar uma luz traseira e apertar uma bateria. Quem não tem exemplos destes?
Cada vez mais me convenço que Miguel Sousa Tavares tem razão quando diz que temos os piores trabalhadores e os piores empresários da Europa.