terça-feira, dezembro 20, 2005

Remar contra a maré

Parece não haver grandes dúvidas que o eleitorado irá dar a vitória a Aníbal Cavaco Silva logo à primeira volta. Depois da esmagadora maioria atribuída ao PS em Fevereiro passado tal facto torna-se uma verdadeira contradição, não pelo facto de o governo socialista estar a governar bem, longe disso, mas porque, de todos, Cavaco Silva é o candidato com menos atributos para responder afirmativamente aos anseios das populações e aos diversos problemas sociais. Enquanto primeiro-ministro Cavaco foi sempre um péssimo dialogante com as estruturas sociais, achava que ser interpelado na Assembleia da República onde estão os representantes do povo era desnecessário, fazia valer o seu estatuto individualista suportado pela maioria absoluta impondo a sua vontade contra tudo e todos. Algumas medidas populistas que tomou fê-lo na crença de que seria necessário conquistar o eleitorado em momentos-chave, porque, no essencial os milhões de contos que vieram da UE foram enterrados em obras públicas e em construções faraónicas.
Perante o profundo descontentamento que se gera em torno deste governo desastroso seria previsível que o eleitorado não se virasse de novo para o homem que obrigou Portugal a trabalhar na terça-feira de Carnaval mas sim para Manuel Alegre que se apresenta nestas eleições como a pedra no sapato de Sócrates, mas a memória é curta e Cavaco Silva prepara-se para ser o cavalo de Tróia da direita portuguesa. Eu não auguro nada de bom no horizonte nacional com esta eleição.

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

palhaço és mesmo ignorante deves ser um merdas de um comunista lembe botas de esquerda que pensa que o estado faz dinheiro e nada percebe do mundo.

10:23 da tarde  
Blogger cáustico said...

quanto quiseres ofender contacta-me por mail porque aí a conversa pode ser outra

12:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home