quinta-feira, dezembro 29, 2005

Afinal não é desta

Prevista a abertura para o dia de hoje do novo supermercado mais eis que a surpresa negativa estava reservada para a ligação dos esgotos que se revela de difícil execução. Pois bem, ao que parece a CMVV já sacudiu a água do capote e transferiu toda a responsabilidade dessa ligação para a empresa que por sua vez não vislumbra qualquer solução técnica para o problema, uma vez que as condutas de água e esgotos instaladas não obedecem a exigências técnicas. Pergunta-se: para quê tanta papelada a entregar na Câmara quando se faz o mínimo projecto para depois se assistir a argoladas destas?

segunda-feira, dezembro 26, 2005

Ter é preciso !

Mais um Natal findo e está na hora de fazer o balanço do mesmo...não em termos daquilo que o nosso espírito ganhou em harmonia e bem-estar fruto dos relacionamentos com os amigos e família mas do deve e haver dos bens trocados nesta quadra. Das respectivas festas há-de perdurar a memória do borrego assado que sabia como nenhum outro no país e do vinho especial que estava guardado na adega há mais de 50 anos. E não perderemos a oportunidade de, mais tarde, comentar com os amigos em jeito de despique quem gastou mais dinheiro com este Natal e quem cometeu a façanha de saborear o pitéu mais delicioso porque para ter valor nesta comunidade o que é preciso é ter. Se alguém conhece mais do que tem não tem o mesmo valor dos que ostentam bens materiais, porque isso da cultura e da inteligência está fora de moda e são facilmente esmagadas pelo poder de quem tudo pode comprar. O peito inchado e o nariz altivo são indicadores de posse e só quem tem posses pode aspirar que os corcundas deste país lhe estendam a passadeira vermelha onde quer que desejem entrar. Até porque agora é tempo de ver quem consegue ir ao reveillon mais longe e trazer as fotografias mais sumptuosas para fazer inveja àqueles que não conseguem enganar a máquina fiscal. É esta a terra, o país e o mundo em que vivemos !!!

sábado, dezembro 24, 2005

Figura calipolense do ano


Para o libato não há grandes dúvidas; Edgar Anão é a figura calipolense do ano pela coragem em abraçar uma carreira extremamente desgastante, o ciclismo, com todas as condicionantes que envolvem a modalidade nomeadamente a dependência dos patrocínios como forma de subsistência das equipas, os treinos intensivos durante todo o ano (quem nunca se cruzou com este atleta na estrada?) e o risco físico inerente a este desporto. Estou em crer que este desportista merece mais do que ser homenageado perante o público por parte de entidades cujas quais duvido que saibam o seu palmarés ou os resultados que fez este ano. Parabéns Edgar !!!

quinta-feira, dezembro 22, 2005

O comércio tradicional

Nas vésperas de abrir mais uma superfície comercial em Vila Viçosa vem à baila de novo a desprotecção do comércio tradicional e a desigualdade de armas com que ambos lutam no mercado, mas uma pergunta se impõe;quantas lojas que vendem produtos similares aos dos hipermercados foram encerradas desde que os calipolenses começaram a frequentar estes espaços aqui ou em Espanha? Muitas destas lojas não vendem mais do que os produtos de consumo diário porque as compras mensais, essas são efectuadas nos locais onde elas efectivamente são mais baratos, as grandes superfícies. Então como se explica que muitos dos comerciantes tradicionais continuem de portas abertas tendo alguns conseguido mesmo expandir o seu negócio? São engenharias financeiras que estão por explicar e por entender.

terça-feira, dezembro 20, 2005

Remar contra a maré

Parece não haver grandes dúvidas que o eleitorado irá dar a vitória a Aníbal Cavaco Silva logo à primeira volta. Depois da esmagadora maioria atribuída ao PS em Fevereiro passado tal facto torna-se uma verdadeira contradição, não pelo facto de o governo socialista estar a governar bem, longe disso, mas porque, de todos, Cavaco Silva é o candidato com menos atributos para responder afirmativamente aos anseios das populações e aos diversos problemas sociais. Enquanto primeiro-ministro Cavaco foi sempre um péssimo dialogante com as estruturas sociais, achava que ser interpelado na Assembleia da República onde estão os representantes do povo era desnecessário, fazia valer o seu estatuto individualista suportado pela maioria absoluta impondo a sua vontade contra tudo e todos. Algumas medidas populistas que tomou fê-lo na crença de que seria necessário conquistar o eleitorado em momentos-chave, porque, no essencial os milhões de contos que vieram da UE foram enterrados em obras públicas e em construções faraónicas.
Perante o profundo descontentamento que se gera em torno deste governo desastroso seria previsível que o eleitorado não se virasse de novo para o homem que obrigou Portugal a trabalhar na terça-feira de Carnaval mas sim para Manuel Alegre que se apresenta nestas eleições como a pedra no sapato de Sócrates, mas a memória é curta e Cavaco Silva prepara-se para ser o cavalo de Tróia da direita portuguesa. Eu não auguro nada de bom no horizonte nacional com esta eleição.

domingo, dezembro 18, 2005

A nossa tropa

Já não bastava vermos as nossas forças militares completamente achincalhadas por um qualquer grupo de celebridades que se propõem fingir que são recrutas em troca de uma considerável quantia em dinheiro, ridicularizando o sistema militar e transformando o esforço e o empenho de milhares de cidadãos que passaram pelas fileiras das forças armadas num verdadeiro espectáculo circense, agora vemo-nos devante a incúria e a negligência do exército ao deixar ao abandono diversas granadas junto de um monte borbense. Se um grupo de crianças ou algum cidadão menos esclarecido tivesse feito detonar este achado certamente que neste momento este incidente teria sido bem mais trágico. Continuem a brincar à tropa com os pimbas deste país que nós por cá cuidaremos dos brinquedos que vocês, dedicados militares deste país, se vão esquecendo de devolver ao quartel.

sexta-feira, dezembro 16, 2005

Lixo mas não tanto !

Gostaria muito de entender a razão porque a hora de recolha do lixo em Vila Viçosa se faz antes da entrada ao trabalho por parte daqueles que têm de cumprir horários como é o meu caso. Por um lado a Câmara coloca relógios de ponto para efectuar o controlo das entradas dos seus funcionários, por outro, coloca estes verdadeiros energúmenos de quatro rodas que recolhem o lixo às 8H50 gerando filas de trânsito de várias centenas de metros. É bom que os respectivos funcionários- que não têm culpa do facto - se encontrem devidamente munidos de documentos justificativos de atrasos para distribuir pelos lesados.

quarta-feira, dezembro 14, 2005

Mário Soares

Registou-se outra tentativa de agressão em plena campanha depois dos lamentáveis incidentes da Marinha Grande em 1986. Nunca um político motivou tantos ódios como Mário Soares. Para um político que salvou Portugal da bancarrota e, embora não tendo sido um governante exemplar não destoa, porém, da mediocridade destes últimos 30 anos, as constantes agressões verbais e até físicas têm algo de mais profundo do que se possa imaginar; foi Mário Soares que apregoou à Europa as atrocidades do regime fascista. Era um político mais conceituado que Álvaro Cunhal cuja ligação ao regime soviético o afastaria dos meandros europeus. O regime fascista abanou mais com as acções do Partido socialista do que anos a fio de luta antifascista interna. Para muitos Mário Soares representa ainda aquele que precipitou a queda do Estado Novo e com ela o fim de muitos interesses. A descolonização conduzida por Soares na sua maior parte haveria de cimentar ainda mais este ódio dada a enorme perda por parte daqueles que desejariam que os soldados continuassem a combater em nome dos seus interesses pessoais. É por tudo isto que Soares é mal-amado. Embora não seja um apoiante indefectível deste grande político não deixa de ser digno de realce a sua coragem para se candidatar a um cargo de tal relevância, quando outros da sua idade olham constantemente para o saco de medicamentos.

domingo, dezembro 11, 2005

Candidatura a Património Mundial

Na sequência do post anterior o libato sabe que foi formada uma comissão para apresentar a candidatura de Vila Viçosa a Património Mundial. Uma vez que a CMVV de Vila Viçosa teima em não actualizar o seu site, julgo que seria do interesse público saber pormenores sobre os trabalhos desta comissão e os reflexos dos mesmos junto das entidades oficiais. Entretanto continuo a solicitar que seja assinada a petição para enviar à UNESCO.

Assinar Petição

quinta-feira, dezembro 08, 2005

Património Mundial

Quem pretender assinar a petição para incluir Vila Viçosa como Património Mundial da Humanidade é favor fazê-lo neste site:

Petição

O objectivo será enviá-la mais tarde directamente para a UNESCO.
P:S: Qualquer imperfeição linguística é irrelevante, as eventuais só reforçarão a nossa portugalidade e a genuinidade da intenção.

quarta-feira, dezembro 07, 2005

E viva Fidel

Sempre tenho defendido o município alandroalense pelas obras realizadas num tão curto espaço de tempo mas, desta vez, não posso deixar de considerar hilariante a decisão de geminar a vila com uma congénere cubana. Que benefícios irão resultar desta decisão para além da possível perpetuação de visitas a Cuba por parte do presidente, pagas pelo erário público? O tom jocoso com que pode ser abordada esta questão apenas se esgota pelo facto de a inteligência dos alandroalenses estar a ser insultada pela visita de artistas cubanos de fama regional ou local como forma de justificar o injustificável, porque, de facto, por muito muita capacidade de raciocínio que se tenha duvidamos que alguém reconheça as vantagens de uma tal cooperação. Chega de amesquinhar o zé povinho!!
Perante estas cenas de demagogia e esbanjamento do dinheiro dos contribuintes o governo assiste de cátedra, porque a crise veio, mas não é nem nunca será para todos !

domingo, dezembro 04, 2005

Pagar ou não pagar?

A prática iniciada por alguns comerciantes em que os caloteiros vêm afixado o seu nome no estabelecimento credor ganhou adeptos no Ministério das Finanças, pelo que agora é possível saber quem anda a sonegar parte do Orçamento Geral do Estado. Ambas as situações são patéticas; de um lado, o comerciante que vende sem emitir qualquer documento como forma de fugir, ele próprio, ao dever imperioso de pagar impostos vê-se ludibriado por quem tem a plena consciência que não há sistema penal que o condene desde que ele não assuma a dívida, pela simples razão que há uma dupla infracção - a sua e a do vendedor. De outro lado, o Estado vê-se obrigado a coagir desta forma os contribuintes, o que revela que todos os métodos de coacção são ineficazes e que, afinal, só paga impostos quem quer. Se a minha penalização por não pagar impostos for um simples papel onde eu consto como cidadão desonesto, então eu quero que me seja dada a possibilidade de não-pagamento dos impostos porque todos somos iguais perante a lei.

quinta-feira, dezembro 01, 2005

Exemplos a seguir

Esta manhã fui generosamente acordado pela nossa banda filarmónica cuja composição tive o cuidado de examinar. Contrariamente ao que seria esperado, há juventude (e muita) nas suas fileiras o que revela que os jovens necessitam apenas de ser tocados na tecla certa para serem encaminhados para outras opções que impliquem dedicação e estudo. Parabéns à banda!
Mais tarde constatei com igual agrado que o Grupo de Teatro de Vila Viçosa está vivo e recomenda-se, a julgar pelo vigor do elenco anunciado.
São instituições como estas que merecem ser apoiadas na sua plenitude, não apenas com o inevitável subsídio que lhes permite a subsistência, mas igualmente com o apoio incondicionável dos calipolenses.
É um privilégio escutar esta banda filarmónica e é com grande expectativa que acompanharei o trabalho deste grupo de teatro.Bem hajam!