quinta-feira, outubro 20, 2005

Viva o comércio tradicional

Soou-me aos ouvidos que a matança a que estão a ser sujeitas as oliveiras Junto à Rotunda da Palmeira (à saída para Borba) se destinam a mais uma superfície comercial que nem vai ficar abandonada porque ao seu lado vai ser construída mais tarde...outra superfície comercial. É isto o progresso! Arrume-se os cidadãos em grandes casões onde haja coisas para cobiçar que da política percebemos nós ! Já nem se trata da rivalidade entre as grandes/médias superfícies e o comércio tradicional mas sim da rivalidade entre marcas de grandes/médias superfícies. Ao cidadão, agora, nada custa saber onde é mais barata a barra de sabão porque nem precisa de se deslocar de automóvel para esse efeito. Basta circular num raio de 300 metros.
Fiquei estupefacto, no entanto, quando observei o mini-muro de Berlim que está ser construído à esquerda e não sei porquê veio-me à memória o incêndio do Chiado. Vá-se lá saber porquê...

4 Comments:

Anonymous Anónimo said...

informe-se devidamente antes de escrever.

Caso não saiba existem sitios próprios onde pode obter informações crediveis.

Vamos deixarnos de conversas que lhe soaram ao ouvidos debaixo das laranjeiras ou nos cafés.

Se quer ter um blog com carácter informativo, como parece ser, aconcelho-o a adoptar outras medidas e meios para o construir.

Não tem sentido estarmos constantemente a ler especulações.

9:20 da manhã  
Blogger cáustico said...

Então esclareça-me a mim e a todos. Para alguma coisa existe aqui uma secção para os comentários e desmentidos se necessário.
Quanto à imprecisão sobre o que está a ser construído nesta zona não estou a ver onde está a incongruência uma vez que se trata de uma constatação visual. A política do blog sou que a defino.
Obrigado

4:32 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Acerca do texto inerente a este tema tenho várias notas e perspectivas a enunciar!!Concordo em parte na optica da desvalorização do comércio tradicional, contudo a consequente globalização que engloba o livre comércio possibilita estes empreendimentos. Gostaria que me esclareça no seguinte ponto. A crítica é dirigida a nível da permissão por parte autarquica ou pelo facto de existirem as grandes superficies??? Na minha opinião a autarquia não deve ser castradora de tais empreemdimentos, não é da sua competência politica.O tema das oliveiras e a sua matança, penso que é impossível construir em cima de qualquer tipo de arvore!Agradeço o esclarecimento. Obrigado.

12:40 da tarde  
Blogger cáustico said...

Não há nenhuma crítica implícita à Câmara Municipal pelo que, desde já, agradecia que afastassem o espectro de uma possível perseguição política por parte deste blog. A crítica é abrangente e diz respeito ao consumismo desenfreado a que se assiste um pouco por todo o mundo como forma de anestesiar as populações de toda e qualquer participação social e política.
As árvores estão a ser cortadas e arrancadas para posterior construção.

12:57 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home